top of page

Explorando a ligação da Internet das Coisas e o setor de autoatendimento

Atualizado: 4 de jan.


homem usando celular possibilitado pela internet das coisas
a internet das coisas possibilitou novos horizontes para o autoatendimento


Você já ouviu em falar na “Internet das Coisas”, ou “loT (Internet Of Things), como é popularmente abreviado?


Usada pela primeira vez em meados dos anos 90, o termo se popularizou à medida que a tecnologia evoluiu e a interconexão de dispositivos se tornou uma realidade cada vez mais presente.


A história do termo IoT pode ser rastreada até Kevin Ashton, um pioneiro britânico em tecnologia, que utilizou a expressão pela primeira vez em uma apresentação na empresa de bens de consumo Procter & Gamble, em 1999.

Ashton estava trabalhando em soluções para otimizar a gestão de cadeias de suprimentos, e a ideia central era a conexão de objetos do cotidiano à internet para coletar e compartilhar dados automaticamente.


A visão do estudioso era de que os objetos poderiam se comunicar entre si, permitindo um monitoramento mais eficiente e preciso dos processos de produção e distribuição. Era cada vez mais perceptível que a coleta de dados em tempo real poderia melhorar a eficiência operacional e a tomada de decisões.


Ao longo dos anos 2000, o conceito ganhou mais destaque com os avanços tecnológicos, que permitiam a integração a uma variedade crescente de dispositivos.


A miniaturização de hardwares, o desenvolvimento de protocolos de comunicação eficientes e a expansão da conectividade possibilitaram a concretização da Internet das Coisas, principalmente a partir de meados da década de 2010, em que o conceito se tornou uma parte essencial nas conversas sobre transformação digital.


O termo, que começou como uma visão inovadora para melhorar a eficiência nas cadeias de suprimentos, expandiu-se para se tornar uma força transformadora nos mais variados setores, mudando a maneira como interagimos com o mundo.


E uma das áreas em que a IoT tem desempenhado um papel significativo é no setor de autoatendimento, redefinindo a experiência do cliente, as jornadas de compras, e a eficiência operacional. Vamos explorar essa relação?

O que é a Internet das Coisas (IoT) e como está ligado ao autoatendimento?

A Internet das Coisas nada mais é do que a interconexão de dispositivos físicos, veículos, eletrodomésticos e outros objetos do dia a dia por meio da internet, equipados com sensores, software e outras tecnologias que permitem a coleta e troca de dados.


O objetivo é criar um ecossistema inteligente, e tomar decisões autônomas com base nos dados coletados.


Antes do surgimento generalizado da IoT, muitas soluções de autoatendimento já estavam em vigor, como caixas automáticos bancários, terminais de self checkout em supermercados e sistemas de check-in automático em aeroportos. Esses sistemas utilizavam tecnologias mais tradicionais, como leitores de código de barras, sensores de toque e interfaces gráficas.

A IoT trouxe uma camada adicional de inteligência e conectividade ao autoatendimento. A capacidade de dispositivos se comunicarem entre si pela internet, trocando dados em tempo real, permitiu avanços notáveis. Veja alguns exemplos desses avanços:

  • Monitoramento em Tempo Real - A IoT permite o monitoramento em tempo real de equipamentos e dispositivos. Por isso, seja para Micro Market, Vending Machine, Grua ou Lavanderia, é possível conferir a atividade de compras e da máquina em tempo real por meio dos Sistemas VMpay e VMlav, que recebem todas as informações das jornadas de compras, viabilizando relatórios e dashboards de acompanhamento. Além disso, nós temos o VMstatus, o site de monitoramento em tempo real de componentes dos nossos sistemas.

  • Personalização da Experiência - Com a coleta de dados, nosso operador pode personalizar a experiência do cliente. Um exemplo prático é que, por meio dos dados do Sistema VMpay, é possível saber qual item é o mais consumido em cada Micro Market, e a partir dessa informação, gerar cupons de promoção ou personalizar as telas dos totens, chamando atenção para aquele item especificamente. Tudo isso, porque os equipamentos, como a VMbox e o pinpad estão se comunicando.

  • Eficiência Operacional - A automação habilitada pela IoT melhora a eficiência operacional de qualquer autoatendimento. Um exemplo no Sistema VMlav, é que o gráfico de operação das máquinas pode mostrar um período específico de informações como falhas, erros e inatividades, permitindo manutenção proativa e reduzindo o tempo de inatividade das máquinas. Leia também: VMlav: conheça o sistema feito sob medida para lavanderias autônomas

  • Pagamentos e Transações Automatizadas - A IoT também facilita transações automáticas, a exemplo da jornada de pagamento em nossos totens de autoatendimento. Além do cliente fazer o processo sozinho, ele pode escolher diferentes formas de pagamento, que de forma ágil transmite as informações tanto para o banco, quanto para o Sistema VMpay.

Tudo isso só é possível por meio da conectividade e a integração da Internet das Coisas, que é capaz de trazer novos horizontes para o mundo e com isso, fazer surgir cidades totalmente inteligentes e automatizadas. Atualmente, a Internet das coisas continua a evoluir, impulsionada por avanços em inteligência artificial, redes 5G e outras tecnologias emergentes, e redefinindo a maneira como interagimos com o mundo digital. Gostou de saber sobre esse tema? Continue acompanhando nosso blog para ficar por dentro de tudo sobre tecnologia.


Ainda não é nosso cliente? 🚀

Se você não conhece nossas soluções e precisa de ajuda com a sua operação, fale com um de nossos consultores clicando no botão de WhatsApp ao lado. Temos um time de especialistas te esperando!

Comments


bottom of page