Desbravando os ares e o varejo, conheça Paloma Michalski

Atualizado: 4 de abr.



A história considera como primeira empreendedora a Madame Clicquot Ponsardin. No século XIX, após o marido falecer, ela assumiu a frente da empresa e a tornou uma das mais famosas do mundo em seu segmento, ficando conhecida mundialmente com “a grande Dama do Champagne”. A também francesa Elisa Léontine Daroche foi a primeira mulher a obter oficialmente uma licença de voo, no dia 08 de março de 1910. Ela também era atriz, e seu nome artístico era Raymonde de Laroche.


Esses dois exemplos nos mostram, mais uma vez, que mulheres sempre encontram espaço para fazer a diferença. Na sexta, véspera de carnaval, nós da equipe de marketing chegamos para entrevistar a Paloma em um de seus pontos de venda da Food2Go. Ela estava com o carrinho do prédio cheio de produtos, já pensando na reposição das prateleiras da sua loja naquele ponto.


Com uma postura profissional e amistosa, ela nos recebeu com o “toque” de mão, oriundo da nossa época pandêmica. Convidamos a profissional para esse bate papo, pois ela é uma das representações femininas em duas posições dominadas por homens: Empreendedora no varejo, e pilota de avião.


Quem é a Paloma?

Tenho 27 anos, sou piloto de avião em uma das maiores companhias aéreas do Brasil e também sou uma das sócias da Food2Go. E também, enquanto estou nos hotéis, aproveito para estudar para a faculdade, estou cursando Administração.


Como o desejo de empreender surgiu pra você?

Desde adolescente eu sempre pensei que gostaria de ter algo, mas eu não sabia o que era, não sabia nem por onde começar, então dos 15 aos 25 eu fiquei amadurecendo essa ideia. Tive várias ideias nesse tempo, mas quando eu estudava mais a fundo, sempre tinha algo que não dava certo.


Como a ideia da Food2Go surgiu?

No começo do ano passado, eu estava fazendo um treinamento de aviação e nós ficamos em um hotel, em São Paulo. E esse hotel tinha um modelo de Mini Market na recepção.


Quando eu cheguei no hotel, eu pensei “nossa, que legal”, me chamou muita atenção. Então eu fui lá, dei uma olhada e comprei um item. Inclusive, eles usavam o Totem Smart, da VM. Fui para o quarto me perguntando: “por que não ter um negócio como aquele?”.


Qual a importância do autoatendimento para você?

Eu vejo que o autoatendimento facilita muito a vida do empresário, mas eu vejo também que o cliente, o consumidor gosta também. Ele se sente dono de si.


O consumidor chega no mercado dentro do condomínio dele, ou de um hotel, escolhe o item que ele quer, no tempo dele. Ele sabe que ele tem a responsabilidade de passar o item e pagar o item. Os feedbacks que nós temos dos nossos clientes sempre são os melhores possíveis.


O que tem de parecido em ser piloto e empresária?

Liderança e o pensamento rápido.


A liderança, tanto como empresária quanto piloto, nos dois ramos todo mundo sempre busca um líder. Na aviação, os comissários precisam de um líder para ter um norte, os pilotos precisam de um líder, que é o piloto chefe.


Na empresa não é diferente, no Micro Market, você precisa ser líder, para a equipe entender o que precisa fazer e fazer um bom trabalho.


E o pensamento rápido. Na aviação, quando o avião se comporta de uma maneira que não é o esperado, nós temos que entender o problema, tomar uma decisão e agir.


Na empresa também, digamos que um equipamento saiu do ar. Nós temos que identificar o problema, reunir as pessoas que podem ajudar, o suporte por exemplo, e agir.


Qual o maior desafio que você enfrentou na sua carreira?

Na minha carreira de piloto eu acho que o meu maior desafio foi fazer o curso sem saber se eu seria empregada. Demorei 4 anos para conseguir juntar o dinheiro e me privei de muitas coisas.

Esse foi um desafio absurdo na minha vida. E quando eu finalizei o curso eu pensei “e agora? Terminei, passei por essa barreira do dinheiro, mas agora eu não sei se vou ter emprego”.

E na empresa, o desafio foi justamente entrar em um mundo que eu nunca estive. Eu nunca lidei com comida, com varejo. Eu e meu sócio inclusive, nós fomos aprendendo juntos, testando e no final nós conseguimos chegar num resultado muito bom e muito eficiente.


Como a VM faz diferença no seu dia a dia?

Toda vez que eu preciso, eu sou muito bem atendida, prontamente atendida.


Preciso de um atendimento com o suporte? Eu mando mensagem no WhatsApp. Pra mim isso é maravilhoso, porque tem vezes que estou no aeroporto e eu não posso fazer ligações. Eu consigo resolver um problema de dentro do aeroporto, estando a 3 mil quilômetros de distância.


O que você diria para outras mulheres que almejam alcançar posições de liderança?

Eu diria para ir em frente. É assustador, nós mulheres as vezes nos colocamos em uma posição muito frágil, mas nós não somos frágeis. Tudo o que a gente quer, a gente consegue.


O medo é inevitável, ele acontece. A insegurança, ela acontece. Mas se você tem vontade, você deve acreditar em você, porque as coisas dão certo. As coisas sempre se encaixam no final.

 

A Paloma é inspiradora, né?! Adoramos o bate papo com ela, e saímos inspirados.


A semana do dia da Mulher da VM também contou com a entrevista da Sônia, analista de tecnologia e um artigo que explica um pouco os nossos motivos para essa celebração do dia das mulheres.


Você pode conferir a entrevista da Paloma em vídeo no nosso Instagram.

27 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo